Previdência Privada é maneiro!

Previdência Privada: Tudo o que você não sabe!

Previdência Privada é uma parada meio obscura para a maioria dos brasileiros.

É como se fosse um tipo de mistério onde acontecem algumas coisas estranhas.

Deixa um ar de estranheza onde ninguém sabe se é algo bom ou ruim.

E para esclarecer de vez as suas dúvidas, tendo interesse por essa opção, ou não, conhecer não faz mal a ninguém.

Quem sabe você não se agrada essa alternativa de investimentos e acha  interessante pra sua realidade.

Ou se já pensava em entrar em algum plano, pode tirar algumas dúvidas agora e confirmar com o fornecedor depois.

Então vamos lá!

O que é a Previdência Privada?

Previdencia privada
Ótimo Recurso!

Previdência Privada é como chamamos um produto financeiro que consiste em um fundo de investimento de longíssimo prazo.

Normalmente é uma das várias formas de poupar para complementar a aposentadoria oficial ou outros objetivos

Como pagar a faculdade dos filhos ou comprar uma casa à vista.

Eles existem no mundo inteiro e podem ser:

Fechados, quando são oferecidos pela empresa apenas a seus funcionários por meio de uma fundação, ou

Abertos, quando estão disponíveis para qualquer pessoa num banco ou corretora.

Mesmo que você não saiba o que é previdência privada, se a sua empresa oferecer um plano, em geral vale a pena aproveitar.

Os fundos de previdência têm de ser oferecidos por seguradoras.

Que se comprometem no fim de determinado período de contribuição a dar ao investidor a opção de comprar uma renda por toda a vida (Independência Financeira) ou sacar o dinheiro gradualmente.

Há um compromisso da seguradora com o investidor.

Como funciona a Previdência Privada?

As seguradoras oferecem aos investidores os chamados planos de previdência, que calculam quanto é preciso guardar por mês para acumular um valor que garanta a renda desejada na aposentadoria.

Isso ajuda o investidor a ter uma ideia de quanto é preciso guardar para a aposentadoria e quanto tempo isso levaria.

A contribuição é debitada mensalmente se o plano for do banco em que se tem conta.

O que é bom para quem não tem disciplina para guardar dinheiro.

Em geral, cada banco oferece os planos da sua seguradora apenas, entretanto há planos de instituições independentes disponíveis em corretoras de valores ou diretamente nos corretores de seguros.

Nesse caso, a seguradora independente envia um boleto para o investidor ou cadastra um débito automático no banco.

Há dois tipos de produtos de previdência privada:

Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL)

Que permite abater as aplicações na declaração anual completa do Imposto de Renda.

Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL)

Que não permite e são indicados para quem não é assalariado ou faz a declaração simples do Imposto de Renda.

Taxas e Tributações da Previdência Privada

Os fundos de previdência têm dois custos ou taxas principais.

O primeiro é a:

Taxa de administração

Que incide sobre o patrimônio do fundo, e por isso tem um impacto maior na formação da poupança do investidor.

O outro custo é a chamada

Taxa de carregamento

Que é descontada de cada aplicação a título de cobrir os custos da empresa que administra a aplicação.

Assim, se o fundo tiver uma taxa de carregamento alta, de 5%, por exemplo, a cada R$ 100 aplicados, serão depositados no fundo apenas R$ 95,00.

No exterior e em alguns fundos no Brasil há ainda uma

Taxa de saída

Que é um percentual sobre o valor sacado antes de determinado prazo, o qual costuma variar de dois a cinco anos.

Para incentivar o investimento de longo prazo, os fundos de previdência privada têm algumas vantagens fiscais.

A primeira é a possibilidade de o assalariado deduzir (descontar) os valores aplicados até o equivalente a 12% da renda anual na declaração completa do IR.

Na verdade, o imposto é adiado (ou diferido, na linguagem técnica) e será pago quando for sacar o dinheiro, que tem de ser um PGBL.

Assim, o imposto no resgate será cobrado não só sobre o rendimento, como ocorre nas demais aplicações, entretanto sobre o principal também.

O VGBL não permite deduzir as contribuições.

Tabelas Progressiva e Regressiva de IR

Outra vantagem fiscal dos fundos de previdência é a tributação no resgate.

Na hora que inicia o plano de previdência, o investidor pode optar por duas formas de tributação para quando for receber o valor.

Uma delas é a tabela progressiva de alíquotas, que é a mesma usada nos salários e no carnê Leão.

E que tem uma faixa isenta até determinado valor e alíquotas que vão de 7,5% a 27,5%, de acordo com a retirada mensal.

A tributação progressiva pode ser boa para valores menores ou se o contribuinte tiver despesas para abater do IR na aposentadoria, como planos de saúde.

A outra, mais usada e mais simples, é a tabela regressiva, que começa com 35% nos primeiros dois anos.

E vai caindo 5 pontos percentuais a cada dois anos até chegar a 10% após 10 anos.

Se liga ai:

  • Até 2 anos –  35%
  • De 2 a 4 anos – 30%
  • De 4 a 6 anos – 25%
  • De 6 a 8 anos – 20%
  • De 8 a 10 anos – 15%
  • Acima de 10 anos – 10%

PGBL ou VGBL?

No caso do PGBL, mesmo pagando o imposto no resgate sobre o valor aplicado, há a vantagem de trocar a tributação hoje, de até 27,5% sobre a renda, pela do fundo no futuro, que cai para 10% daqui 10 anos, dependendo do tipo de tributação escolhida.

Se escolher a tabela progressiva e tiver muitos abatimentos, o investidor pode ficar isento de imposto.

Para quem não é assalariado ou não faz a declaração de renda completa, e quer usar os benefícios fiscais da tabela regressiva.

A opção são os VGBL, que tem as mesmas características do PBGL, só não permite deduzir as contribuições do imposto de renda.

Em compensação, no resgate, a tributação é cobrada só sobre o rendimento obtido.

Ele é muito usado como opção aos fundos de investimentos pela tributação menor.

Conclusão

Qipu ajuda sua empresa
Evoluir, sempre!

É isso ai, se não fazia ideia de como funciona a previdência privada, agora tem uma nova visão.

Se eu não deixei alguma coisa clara, me avisa ai nos comentários que faço questão de responder e você pode ler mais nesse artigo do Exame!

Como um produto financeiro para longíssimo prazo, você deve pensar bem e se planejar para aderir à um plano.

No geral, é um bom produto (melhor que a poupança) onde você pode tirar boas vantagens, dependendo do seu objetivo.

Por hoje é isso, te desejo todo o sucesso e uma:

-Vida Longa e Próspera!

Até a próxima!

Felipe Muniz

Felipe Muniz

Um nerd que teve a vida completamente transformada pelo livro Pai Rico, Pai Pobre e apresenta o poder desse conhecimento, de forma simplificada, para ajudar cada pessoa a despertar da matrix financeira.